quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

Quem é Lauthenay


FOTOGRÁFIA É ALGO FANTÁSTICO.
ELA APRISIONA O TEMPO E COM ISSO...
O MOMENTO SE TORNA ETERNO.




Este é o Lauthenay Perdigão do Carmo de quando completou 24 anos de idade. Hoje ele tem 83 anos com mais de sessenta dedicado ao esporte.  Todo seu acervo está no Museu dos Esportes que  se localiza no Estádio do Trapichão, o Rei Pelé.

                         

                                              1970 - Na Federação Alagoana de Futebol.
                         Lançamento do meu primeiro Livro - Futebol Alagoano Através dos Tempos.
       Ao meu lado está o Presidente da Federação Alagoana de Futebol, Orlando Gomes de Barros.


                                           Eu, quando jogava no time do CSA em 1952
                                                                  Com, Deda e Ié.


                                      O artista, Daniel Henrique, e seu maravilhoso desenho.
                               Foi o primeiro presente neste mês do meu aniversário de 2018..


                                  Entrevistando o amigo Dida, campeão pelo CSA, Flamengo
                                                     e mundial pela Seleção Brasileira.


                2018 - Em uma tarde, no Arquivo Público, participando com o amigo Antônio Torres
                         no projeto Chá de Memória, contando as histórias das Copa do Mundo.

                              1968 - Eu,como Dudu e Sabino Romariz,em Brasilia,na cobertura do
                                                     Campeonato Brasileiro de Voleibol.



                                                     Eu entrevistando dois craques do futebol alagoano.
                                                                      Pompéia e Paulo Nylon.


                                               1974 - Com a família na Rua do Ceará.
Valéria (Filha). Eu. Augusta (Esposa). Goreti (Filha) e Marta (filha).


             Capa do meu segundo livro - Arquivos Implacáveis - A História do Futebol Alagoano.
                                                           Já está na sua terceira edição.


                                                                   Com a família em 1970.
                                                      Valéria. Eu. Augusta.Goreti e Marta.


                             1962 - No aeroporto de Aracaju - Temporada do CRB em gramados sergipanos.
  Entrevistando os jogadores mais jovens do CRB: Jackson. Jarbas. Cedrim. Airton e Geraldo Lopes.


                                    2013 - Depois de ser homenageado pela diretoria do CSA,
                                         fui fotografado no meio dos troféus do clube azulino.


                                         1982 - Eu e o companheiro Luiz Alves acompanhamos
                                    o depoimento do antigo craque do futebol alagoano, Dirson.
       

                                          Eu, dois amigos e craques do CSA no anos 60.
                                                      Tadeu da Costa Lima e Deda.

                 
                                                             Eu e minhas quatro netas.
                                                 Gabriela. Marcela. Mariana e Daniela.


                   Eu e Jorge Lins, Presidente da Associação dos Cronistas Deportivos de Alagoas, no                              lançamento do meu livro - Arquivos Implacáveis - A História do Futebol Alagoano -
                                                                em sua terceira edição.


                                                      Auditório Lauthenay Perdigão.
                               Este auditório se encontra no primeiro andar do Estádio Rei Pelé.

                                                     1953 - No Colégio Guido.
                                                   Ivon Cordeiro.Walmar Breda e Eu.


                           
                                                    Dunga visita o Museu dos Esportes
        Convidamos o Dunga para uma palestra com os jogadores do Campeonato das Comunidades
                                                               Carentes de Maceió.
                        Vale a pena informar que o capitão da Seleção Brasileira campeã em 1994
                                   não cobrou nada e ainda pagou todas suas despesas de Hotel.     




                                      Eu recebendo uma premiação na Associação Comercial.
                                                   

                                              Recebendo a visita dos amigos, antigos craques do nosso futebol -
                                                         Deda. Zé Julio. Tadeu e Nadinho.

                                                       1961 - Eu entrevistando o zagueiro do Vasco, Belini.
Aconteceu antes de um jogo contra o CRB.


                                             Eu, no programa da TV Gazeta - Isto é Alagoas.
             

                                      Abertura da segunda exposição no Teatro Deodoro com os
                                                       Arquivos do Museu dos Esportes.
                                      Eu, acompanhando a construção do Estádio Rei Pelé.


                                              Eu e o ídolo da história do Flamengo - Zico.                                       


                                              Eu e Luiz Alves ouvindo o depoimento do
                                                   goleiro e árbitro - Pelópidas Argolo.


                              Uma homenagem do Cícero Almeida quando Prefeito de Maceió.
                                                                Inauguração em 2010.


         Eu, em casa, escrevendo na velha máquina de datilografia, o programa que ficou no ar por mais                                            de trinta anos - O Esporte em Grande Estilo.


                                                       Eu e o busto do meu amigo Dida.


                                           Visita ao Museu dos Esportes de grandes amigos.
                                Dudu (goleiro dos anos 40). Eu. Fernando Palmeira (radialista).
                                  Mendes (zagueiro dos anos 70) e Ciro (zagueiro dos anos 60).


              No Centro de Convenções depois de receber uma homenagem do Governo do Estado.
                                            Estou no meio das minhas netas Marcela e Daniela.


                   Eu e dois saudosos amigos. Eduardo Montenegro, o veteranos goleiro Dudu
                                                       e o grande jornalista Luiz Alves.

                  1982 - Eu e Jorge Moraes se preparando para ouvir o depoimento do Louvain Ayres.
             Ele foi jogador campeão pelo CRB em 1940 e pelo Barroso em 1946. Também foi um dos
                                         melhores árbitros do futebol alagoano nos anos 60.


                     Eu, minhas cinco entas e meu primeiro bisneto - Flávia. Marcela. Gabriela. Mariana e                                                               Daniela. OI bisneto Pedro Henrique.


                                                     1954 - Juvenil do Tiradentes.
                      Em pé: Odildon . Silvio. Jedir. Ionildo. Walmar. Aguiar. Geninho e Cleistenes.
                          Agachados: Ivon Coreiro. Agremam. Barra. Eu. Mauro e Tazinho.


                            1963 - Eu, entrevistando o antigo goleiro do América e CSA, Dudu.
                                                                Foto da Gazeta de Alagoas.


                                               1953 - Eu me preparando para o treino do .
                                          Centro Sportivo Alagoano no campo do Mutange.


Lançamento da segunda edição do livro - Arquivos Implacáveis - na cidade de Arapiraca.
Eu e minha esposa (Augusta).O amigo Pereira Neto e o Presidente do ASA de Arapiraca, José Santos.

                                                 
                             Eu, na casa da Rua do Ceará, nos anos 70, ouvindo o LP da Copa do                                                                  Mundo de 1962 com os gols do Waldir Amaral.


             Uma linda homenagem da Acadêmia Cena e sas atletas do voleibol do CRB dos anos 60.
                        O evento foi realizado no primeiro andar do Estádio Rei Pelé com uma bela
                                ornamentação providenciada pelo grupo que fez a homenagem.         


                                     
                                                       Eu e Arnon, Presidente do CSA.
                  Momento em que ele fazia doação da flâmula e faixa do Tallares da Argentina
        que disputou a final da Conmebol de 1999, além da de medalha de vice campeão do CSA.

       
                                                   2014 - Completando 80 anos de idade.
                          Foto com eu e minhas netas - Gabriela. Mariana. Daniela e Marcela.


                           Eu sendo entrevistado na TV Pajuçara no programa do Ricardo Mota.

                                       Anos oitenta - Eu ouvindo o depoimento do Cocorote.
                         O goleiro que defendeu ASA, CRB e Ferroviário contou histórias que
                               pouca gente sabia. Um depoimento autêntico e muito objetivo.


                             
                                                    1993 - Eu e os irmãos Santa Rosa.
                                                    Wilson.Luiz Alves. Dida e Edson.


                                              25 anos no Banco do Nordeste e 50 anos de idade.
                                    Homenagem dos meus colegas e amigos no auditório do BNB.
                                                     O abraço é do jornalista Márcio Canuto.


        Eu na porta do Museu dos Esportes no meio das fotos de dois alagoanos amigos e que foram                                  craques no futebol brasileiro. - Silva no Vasco e Dida no Flamengo.


       1965 - Festa dos Melhores promovida pelo Departamento Esportivo da Rádio Gazeta.
                       Na foto o melhor árbitro recebe placa e diploma do Lauthenay Perdigão.


                                                      Eu e o busto do meu amigo Dida.

                                         
                     Lançamento do Livro - Arquivos Implacáveis, A História do Futebol Alagoano.
                  No momento que autografava os livro para dois grandes amigos que já não estão
                             maios ente nós: Dr. Dirceu Falcão e o grande artilheiro do CSA, Ítalo.





                                                                 Eu e Zico em Maceió.
                             O galinho de Quintino veio participar de um jogo beneficente.

                         
                                 Eu e dois zagueiros que jogaram na Seleção Alagoana de 1952.
                                                            Divaldo Lindoso e Cacau.





                                Homenagem do poeta Cláudio Jucá. Esse o verdadeiro nome do poeta.

                                               
                                                   EU entrevistando o ex goleiro Cocorote
                                             Era um depoimento para o Museu dos Esportes


  No dia de inauguração do Hall da Fama que tem o meu nome. Fica localizado no Estádio Rei Pelé.
 Brito e Carlos Alberto Torres, tri campeões mundiais. Marlon Araujo, Secretário de Esportes do Estado. Luis Abílio, Governador da Alagoas. Eu. Márcio Canuto, jornalista e Sexta Feira, deputado. Estadual.

                                     
                                               1966 - Brasília - Campeonato Brasileiro de Voleibol.
Toroca viajou de carro e no meio do caminho, bateu. Na foto aparecem, Dudu, Sabino Romariz e Eu.

 As equipes das Comunidades Carentes de Maceió estavam perfiladas para ouvir o Hino Nacional.
Era a abertura de mais um campeonato promovido pelo Museu dos Esportes e o apoio do Prefeito

                                                                         Cicero Almeida.
                      Mesmo na chuva, eu e os garotos,ouvíamos com respeito o nosso hino.


                                               1993 - Eu, filmando o depoimento do Dida
                                                             para o Museu dos Esportes.


                                    Eu junto com a família. Esposa, filhas, netas e um bisneto.
 Flávia. Marcela. Goreti. Valéria. Augusta. Mariana. Gabriela. Marta. Pedro Henrique e Daniela.


           
                                         Dia do lançamento da segunda edição do livro -
                                  Arquivos Implacáveis - A história do futebol alagoano.


                                           Visita do amigo e artilheiro do CSA, Dentinho.


                                     1955 - Eu, no acampamento do NPOR perto da cidade de Satuba.
                                           Ainda aparece, em pé, meu amigo Walmar Brêda.


                                 1982 - Eu ouvindo depoimento do grande árbitro Edson Matos.
                            Um depoimento que se encontro nos arquivos do Museu dos Esportes.


                                                      Eu, no Teatro Deodoro em 1982.
                                 Era a abertura da exposição de fotografias dos meus arquivos.

                                                  1957 - 16º Regimento de Infantaria.
                                         Inauguração das Olimpíadas Militares em Natal.
                                                         Exército 2 x Aeronáutica 2.
                                                        Fiz os dois gols do Exército.

                                                                  Sem comentário.


                             
                                        Eu, acompanhando a construção do Estádio Rei Pelé
                                          que foi inaugurada no dia 25 de outubro de 1970.


                    
     
                             1953 - Eu. na praia da Avenida com a camisa do Vasco da Gama
                                           doada pelo artilheiro do meu coração - Ademir.



                           




                                      1952 - Eu me preparando para mais um  treino no CSA.


                  2017 -  Visita ao Museu dos Esportes da Secretaria de Esportes do Estado, Cláudia Petuba,
                            do Governador Renan e o Presidente do CRB, Marcos Barbosa.                            


                                   Eu recebendo o prêmio "Gogó da Ema no Teatro Deodoro.

                           

                           Na porta do Museu com os amigos Cao Roland Benamor.


                                      Eu e minha família no dia do laçançamento do meu livro  -
                                         História do Futebol Alagoano - Arquivos Implacáveis
                                                                em sua terceira edição.


                                         Visita ao Parque Municipal junto com a Prefeita Katia Born
                                                         e o Governador Ronaldo Lessa.


                          1952 - Eu no meio de dois craques que se destacaram no futebol alagoano -
                                                                      Deda e Sued


               EU saindo do Museu entre duas fotos de alagoanos que jogaram mo futebol carioca.
                                                      Silva no Vasco e Dida no Flamengo.



         Eu conversando com os futuros técnicos de futebol. O papo aconteceu no Museu dos Esportes.

                                           

       Lançamento da segunda edição do livro - Arquivos Implacáveis, a História do Futebol Alagoano                                                                na cidade de Arapiraca.


                Eu no meio de alguns dos meus amigos que estiveram na festa promovida pela minha                                                           família quando completei 70 anos.


                                   1982 - Eu ouvindo o depoimenmto e as incriveis histórias
                            do ex jogador e grande árbitro do futebol alagoano, Louvain Ayres.



                                               Homenagem dos Amigos de Alagoas



                                        Eu conversando com a professora e aluns do SESI 
que visitavam o Museu dos Esportes.


                                   
                                           1952 - No tempo do Centro Sportivo Alagoano.
                                                                       Deda. Eu e Ié.


                          Tivemos a prazer de recer a visita do Governador, Teotonio Vila e
                                              do Ministerio dos Esportes, Aldo Rebelo.
                         Na foto ainda aparece o ex-secretário adjunto de Esportres, Jorge Sexta Feira.





             
                                2016 - Eu, observando a grandiosidade do Rei Pelé. Um Estádio
                                                         que vi crescer durante sua construção.




                        Nos anos setenta, a Rádio Difusora de Alagoas me fez\ uma homenagem
                                         colocando meu nome da sala de esportes da emissora.


                         
                                    Eu e o jornalista Luiz Alves acompanhamos o depoimento do
                                             saudoso contador de história, Haroldo Miranda.


                                    Inauguração da Vila Olímpica Lauthenay Perdigão.
                               Eu, o Ministro Orlando Silva e o Prefeito Cicero Almeida



                  1969 - Acompamhando de perto a construção do Estádio do Trapichão, o Rei Pelé.

         
           Eu e Louvain Ayres quando o zagueiro do Barroso, campeão alagoano de 1946, contava sua                                sua história como jogador de futebol para o Museu dos Esportesd


                                Anos 80.  Exposição dos nossos arquivos no Teatro Deodoro.
         Na foto estou ao lado do Dr. Dirceu Falcão e Jacaré, o fotografo da Gazeta de Alagoas



                   Terceira edição do livro - História do Futebol Alagoano. Arquivos Implacáveis.

                                       
                                                   Eu na casa da Rua do Ceará em 1970.
                                 Notem que as paredes já eram cheias de flâmulas e fotos.


                                                             1952 - Time do CSA.
           Em pé: Palito (preparador fisico). Arestides. Derivaldo. Du. Penedo. Nildo e Berenaldo.
                                Agachados: Walfredo. Deda. LAUTHENAY. Ié e Capoteiro.


                       DVD sobre o evento de inauguração do Hall da Fama Lauthenay Perdigão
                               que fica do terceiro andar do Estádio Rei Pelé, em Maceió.


                           
                                           1956 - Eu com minha velha máquina de escrever
              escrevendo o programa - O Esporte em Grande Estilo para a Rádio Gazeta de Alagoas

                                       
                          Eu quando saia do Museu dos Esportes para conversar com o fotografo.

                                 2013 - Homenagem da Gazeta de Alagoas através do jornalista
                                     Wellington Santos quando Eu completava 79 anos de idade.


                                       Anos 80 - Eu e minha filha Marta no Teatro Deodoro
                           quando estava realizando uma exposição sobre o futebol alagoano.

                      1964 - Na rua do Ceará, eu estou ouvindo o disco da Copa do Mundo de 1962.
                                    O LP foi um presente do narrador carioca, Valdir Amaral.


                 Lançamento da segunda edição do livro - Arquivos Implacáveis -  em Arapiraca.
                   Eu, minha esposa  Augusta,o amigo José Pereira Neto e o presidente do ASA.


                                         Recebi a visita do amigo artilheiro do CSA Dentinho.
                         É sempre um receber no Museu dos Esportes Edvaldo Alves Santa Rosa
                                                         os amigos dos velhos tempos.


          1993 -Lançamento do Livro - Histórias de um campão do mundo - de autoria do Luiz Alves.
                        Na foto - Eu e os irmãos Santa Rosa - Wilson. Luiz Alves. Dida e Edson

                           
                           Anos 80. Eu e Jorge Moares acompanhamos o depoimento do saudoso
         e grande jogador do nosso futebol, Roberto Menezes. Foi um papo legal com muitas histórias.

                               
                                     2010 - Inauguração da Vila Olímpica Lauthenay Perdigão.
                                   Na foto, recebo os cumprimentos do Ministro Orlando Silva.


                                      1952 - Eu no CSA antes de uma partida do campeonato.

 
                              Eu concedendo entrevista a Edson Moura da TV Pajuçara.


                             Eu no meio de dois grandes craques alagoanos do futebol brasileiro.
       Foram campeões carioca pelo Flamengo e campeões do mundo pela seleção brasileira em 1958.    

                            2006 - no dia da inauguração do Hall da Fama Lauthenay Perdigão.
                       Na foto vemos, Brito. Carlos Alberto Torres. Capitão Marlon. Governador Luis Abilio
                                                        Eu. Márcio  Canuto e Sexta Feira.

                           
                                   1982 - Eu e meu amigo Zequito Porto. Ele foi tudo no CRB,
                  jogador, treinador e diretor. Antes desta foto, Eu e Antonio Torres, ouvimos o                          depoimento do Zequito, Cláudio Régis e Moisés Silva que contaram a história do jogo da Sofia.







                   Eu e o ex-jogador Bá quando ouvíamos seu depoimento para o Museu dos Esportes.
                  Bá foi um grande jogador de futebol de Salão e em excelente meia esquerda no CSA,                                                                     campeão alagoano de 1963.


                                    Eu saindo do nosso Museu dos Esportes entre duas grandes fotos.
                    Os alagoanos Silva que jogou no Vasco e  Dida que vestiu a camisa do Flamengo.

   

                              Lançamento do Livro -No Mundo da Bola - de minha autoria.
    O evento aconteceu no auditória do Estádio Rei Pelé. Na foto vemos os saudosos amigos


                                             Dr. Dirceu Falcão e o artilheiro do CSA Italo.


1963 - Festa dos Melhores do Esportes no Ginásio da Fenix. O evento era promovido
pelo Departamento de Esportes da Rádio Gazeta de Alagoas.
Na foto, eu entregava ao alagoano campeão do mundo na Suécia, Dida,  a camisa que ele
vestiu quando defendia o CSA.


                                                         Minha família nos anos setenta.
                                                     Valéria. Eu. Augusta. Goreti e Marta.



                          Anos oitenta. Eu e Jorge Moraes ouvindo atentamente o depoimento
                do grande craque do futebol alagoano Roberto Menezes. O depoimento se encontra
                                                    nos arquivos do Museu dos Esportes.

                                           
                         1953 - Eu brincando com uma bola de borracha na Praia da Avenida.
              Se alguém está pensando que seja uma montagem gostaria que analisassem bem a foto.


                                  1957 - Eu, aspirante do Exercito Brasileiro, fazendo estágio
                 no 16 Regimento de Infantaria sediado na cidade de Natal no Rio Grande do Norte.



                                              Homenagem do Governo do Estado em 2014.
                                                A solenidade aconteceu no Teatro Deodoro.

                           Eu entrevistando o goleiro Pelopidas para a Rádio Gazeta de Alagoas.

                                             
                                   Eu, no meio de dois grande amigos e ex jogadores do CSA.
                                                              Jacozinho e Soareste.


                                  Eu vestido com a camisa do Santos que Pelé usou no dia da
                               inauguração do Estádio Rei Pelé no dia 25 de outubro de 1970.

           
         Eu e minhas cinco netas - Flávia.Marcela. Gabriel. Mariana e Daniela.
                                     E o primeiro bisneto Pedro Henrique.


                           Em 1962 o CRB realizou uma temporada de três jogos em Aracaju.                             Acompanhei a delegação alagoana para cobrir os jogos contra os principais clubes sergipanos.
                        Na foto, apareço gravando com Jakson. Jarbas, Cedrim. Airton e Geraldo.
                                         A reportagem iam para a Rádio Gazeta de Alagoas.


                             Nos anos 80 realizamos vários encontros com jogadores do passado
                           para ouvir seus depoimentos sobre sua vida no futebol. Na foto, eu e Jorge Moraes                                       conversamos com Roberto Menezes. Este depoimento está os arquivos do                                                                             Museu dos Esportes.

               
                       Um momento em que eu era entrevistado pelo radialista Edson Moura para a
                                                  TV Pajuçara no Museu dos Esportes.





                        1963 - Festa dos Melhores de 1963 promovido pelo Departamento
                     Esportivo da Rádio Gazeta. O evento foi realizado no Ginásio da Fenix.
       Na foto, Lauthenay entrega ao craque alagoano, Dida, a camisa utilizada no campeonato
              alagoano de 1952. Dida tinha conquistado o campeonato carioca pelo Flamengo.
         Além do conjunto que participou do evento ainda vemos Sabino Romariz e Jorge Vilar,


                                           Lauthenay e seus amigos no Museu dos Esportes.
                                                           Bebé. Deda e Roberto Mendes.



 1955 - Na preliminar do amistoso - Combinado CSA e Ferroviário x Vasco da Gama, o juvenil do Tiradentes empatou em 2x2 com o Sport Recife na mesma categoria. Antes do jogo aconteceu confraternização entre os atletas. Eu, assinalado com uma seta, era o capitão do Tiradentes.


                            No seu tempo de cronista esportivo entrevistando o zagueiro do Vasco
   e da seleção brasileiro Belini. O jogo foi na pajuçara contra o CRB no inicio dosa anos sessenta.

                               
                                           1969 - Lauthenay sempre visitando a construção
                                                      do Estádio Trapichão, hoje Rei Pelé.


                         Parte da segunda equipe de Esportes da Rádio Gazeta de Alagoas em 1961.
                                   Em pé; Francisco Magalhães. Jader Cabral e Vagner Novaes.
                                 Agachados: Lauthenay Perdigão. Jorge Vilar e Sabino Romariz.
                                                    
                                 
            Lauthenay e a camisa do Pelé, autografada, que jogou na inauguração do Estádio Rei Pelé no dia 25 de outubro de 1970. Ela faz parte dos arquivos do Museu dos Esportes.
                              




Trio atacante do CSA em 1952.
Deda. Lauthenay e Ié.




Lauthenay no programa das TV Gazeta - Isto é Alagoas.



Eu no tempo de cronista esportivo quando dirigia
o departamento esportivo da Rádio Gazeta de Alagoas.


O meu universo feminino reunido do lançamento da terceira edição o livro - Arquivos Implacáveis - História do Futebol Alagoano. Nesta fota falta a neta Gabriela.
Mariana. Marta. Augusta.Valéria. Marcela. Goreti e Daniela.




Uma homenagem diferente.
A Secretaria de Esportes do Estado e que administra o Estádio Rei Pelé
resolveu nos homenagear com essas caricaturas no muro do Estádio. São épocas
diferentes. A família agradeceu.


No final de setembro, eu recebi uma homenagem da Federação Alagoana de Karatê Interestilos. O evento aconteceu no Colégio Marista durante a festa de abertura do campeonato alagoana de Karatê.


Lauthenay ao lado de Dida e seus irmãos no dia do lançamento do livro -
A História de um Campeão do Mundo - escrito pelo irmão Luiz Alves.
O evento foi no quarto piso do Estádio Rei Pelé.
Na foto vemos Wilson. Luiz Alves. Eu. Dida e Edson.


2006 - Foto da inauguração do Hall da Fama Lauthenay Perdigão que fica no
Estádio Rei Pelé em Maceió.
Brito. Carlos Alberto Torres. Secretário Marlon Araujo. Vice Governador Luis Abílio,
Eu. Márcio Canuto e Alberto Sexta Feira.


Gente que faz a nossa Alagoas
Uma homenagem dos paraibanos, amigos de Alagoas,


No início dos anos oitenta Eu e Luiz Alves
ouvem o depoimento do ex jogador e árbitro do nosso futebol.
Esse depoimento faz parte dos arquivos do Museu dos Esportes.


1953 - Companheiros no Tiradentes nosso time juvenil.
Paulo Ney. Lauthenay e Mauro.
Carioca e Walmar.


1963 - Lauthenay. Renan Rosas e Bastinhos
no Congresso sobre o Esporte em São Paulo.


Tazinho. Lauthenay e Cleistenes.
Fomos campeões pelo Colégio Guido.


Nome de Vila Olímpica.
Uma homenagem do Prefeito Cicero Almeida.

           
    Nos anos setenta na Rua do Ceará. 
                 Lauthenay e sua família - Valéria. Marta. Augusta e Goreti.                 



Nos anos oitenta Lauthenay realizou uma exposição sobre seus aquivos no  Hall do Teatro Deodoro.
Além das fotos foi apresentado videos com jogos e reportagens sobre o futebol. Na foto Lauthenay aparece com sua filha Marta.;


Nos anos 80, Lauthenay acompanha o depoimento do craque Soareste que sempre vestiu a camisa do CSA. O depoimento aconteceu no Teatro Deodoro.


1984 - No dia em que o Banco do Nordeste, seus funcionários e amigos homenagearam
Lauthenay pelos 50 anos de idade e 25 de BNB. Na foto Lauthenay recebe o abraço do amigo
Márcio Canuto. O evento foi realizado no auditório do BNB que fica no primeiro andar da
Agência Central de Maceió.

Lauthenay e Madson Delano no campo do SESI acompanhando mais um  
dos campeonatos infantil.  


1965 - Temporada do CRB em Aracaju. Lauthenay, ainda no aeroporto, fazia gravação com os novatos do clube da Pajuçara e enviar para a Rádio Gazeta, Os garotos era Jackson. Jarbas. Cedrim, Airton e Geraldo.


1952 - Aspirante do CSA.
Em pé: Penedo. Nildo. Berenaldo. Derivaldo. Arestides e Du.
Agachados: Valfredo. Deda. Lauthenay. Ié e Capoteiro.




No domingo, antes de cada grande jornada esportiva da Rádio Gazeta era colocado
no Jornal Gazeta de Alagoas  uma chamada convidando nossos ouvintes para acompanhar
nossa programação dominical.


Lauthenay na Rua do Ceará ouvindo um LP da Copa de 1962 na sua nova radiola.



1989 - Homenagem do Jose Jorge da Marketing de Comunicação.


Antes da inauguração do Hall da Fama que tem seu nome, Lauthenay
recebe a visita do Secretário de Esportes do Estado e dos tri campeões
Brito e Carlos Alberto Torres.


Mais uma homenagem para o Lauthenay.
que tem seu nome gravado na placa de inauguração do Auditório no Estádio Trapichão, o Rei Pelé,


Esta homenagem nos deixou muito feliz pela distinção e reconhecimento pelo nosso trabalho.Cada nova homenagem são novas emoções.



Esta Vila Olímpica, infelizmente, está se acabando. Apesar de ser uma Vila Olímpica, hoje, a única coisa que não tem é esporte. Tem apenas um setor para atendimento médico. 


1957 - Depois de terminar o CPOR em Maceió Lauthenay foi
estagiar no 16º RI na cidade de Natal. 


Capa do livro de Lauthenay Perdigão
A História do Futebol Alagoano - Arquivos Implacáveis
A primeira edição foi publicada  em 1981. Depois aconteceram mais duas edições.
A segunda em 2011 e a terceira 2014.



Uniforme completo da seleção feminina brasileira que disputou o campeonato Sul Americano
de 1978 na cidade de La Paz. A camisa está autografada por todas as aletas. Assinaturas de
Hortência. Paula. Suzete. Simone (hoje uma grande cantora) e outras.
Este uniforme completo está a venda. O valor é a partir de cinco mil reais. Quem estiver interessado pode
entrar em contado comigo pelos telefones - 99306-0330 pelo dia ou 3325 1455 a noite entre
 19 horas até as 23 horas.
Depois do carnaval vou colocar a camisa de frente para que todos possam ver os autografos.





Esta é a camisa da Suzete que disputou o Sul Americano em La Paz em 1978.
Está autografada pelas atletas que participaram do campeonato.


Camisa da seleção feminina de brasileira no ano de 1978




Blusão da seleção brasileira de baquete de 1978.




Blusão da seleção brasileira de basquete de 1978.


Lauthenay conversando om Edson Moura para a
TV Pajuçara.


1963 - Festa dos Melhores do ano promovida pelo Departamento de Esportes da
Rádio Gazeta de Alagoas no Ginásio da Fenix. Na foto, o alagoano Dida, campeão pelo Flamengo 
e pela seleção no mundial de 1958 recebe, do amigo Lauthenay Perdigão, uma camisa do CSA que ele jogou no clube em 1952.


Lauthenay comandava a equipe de Esportes da Rádio Gazeta de Alagoas.
No dia das transmissões dos jogos o Jornal Gazeta Esportiva sempre colocava um anuncio sobre as
Grandes Jornadas Esportivas da emissora.


Lauthenay e seus quatro amores. Augusta e as filhas Valéria. Marta e Goreti.
A foto foi tirada no Coreto na Praia da Avenida.


Neste ano de 2015 recebemos a visita de um dos maiores artilheiros
do Centro Sportivo Alagoano - Dentinho.
Foi bom rever um amigo que tantas vitórias conquistou com a camisa azulina.


Dudu. Cacau. Divaldo e Lauthenay.
Um trio de craques que defenderam a seleção alagoana depois de visitarem o
Museu dos Esportes, acompanhados de Lauthenay foram percorrer  as 
dependências do Estádio Rei Pelé. 


Lauthenay na inauguração do Hall da Fama que tem o seu nome e está localizado no 
Estádio Rei Pelé.
Na foto aparecem Brito. Carlos Alberto Torres. Marlon Araujo. Abilio de Souza Neto. Márcio Canuto e Sexta Feira.


Lauthenay e seus amigos - Bebé. Deda e Roberto Mendes.



1955 - Lauthenay no Hotel Boa Viagem antes do jogo entre juvenil do Tiradentes 
contra a equipe de igual categoria do Esporte Cube do Recife.


1988 - Lauthenay na sua residência escrevendo seu programa - O Esporte em Grande Estilo - 
na velha máquina de escrever.

Lauthenay  abraça uma taça de 1928.
Esta taça foi doada pela Colônia Alagoano residente em Salvador. 
Aconteceu quando a nossa seleção esteve na capital baiana para jogar pelo campeonato
brasileiro de seleções. 
A frente da taça está um quadrado com as impressões dos pés do Rei do Futebol - Pelé.

Nos anos oitenta Lauthenay recebe das mãos do amigo Edvar
o prêmio - Gogó da Ema - em um evento no Teatro Deodoro promovido pela
Rádio Palmares comandada por Wanderley Ribeiro.

Aos oitenta anos. Depoimento de um dos polêmicos árbitros de futebol em Alagoas.
Louvain Ayres antes de ser árbitros foi jogador de futebol como zagueiro campeão pelo CRB 
em 1940 e pelo Barroso em 1946. Seu depoimento que se encontra no Museu dos Esportes, 
teve revelações que aconteceram nos bastidores do esporte.


Anos 80 - Depoimento de Roberto Menezes para o Museu dos Esportes.
Roberto foi entrevistado por Lauthenay Perdigão e Jorge Moraes.
Este depoimento foi realizado no Teatro Deodoro.

Homenagem para Lauthenay pelo grupo - Amigos de Alagoas.


Onze anos atrás, quando completou 70 anos de idade, a família do Lauthenay 
fez uma festa no Salão Sharau convidando parentes e amigos. Todos atenderam
o chamamento e lotaram o Salão para abraçar lauthenay.

Anos setenta na Rua do Ceará.
Lauthenay com parte de seus arquivos de revistas ainda sem encadernações.




1986 - Lauthenay ouve o depoimento do ex-jogador do nosso voleibol Zé Mendes.

1984 - No auditório do BNB, a família, amigos e funcionários do Banco, homenagearam
Lauthenay pelos 25 anos no Banco do Nordeste e 50 anos de idade. Na foto Lauthenay
aparece ao lado do amigo Márcio Canuto.

2014 - No Teatro Deodoro o Governo do Estado homenageou Lauthenay Perdigão
com a Ordem do Mérito dos Palmeares no Grau de Cavaleiro.
Na foto o homenageado recebe o diploma do Governador Teotônio Vilela.

1963 - A Rádio Gazeta em Aracaju para fazer a cobertura dos jogos do CRB.
Benedito Loureiro (árbitro alagoano). Eutêmio Baracho. Renan Rosas e Lauthenay Perdigão.

2014 - Lauthenay aparece, na porta do Museu dos Esportes, no meio de dois
amigos - Silva e Dida.

Quando Lauthenay completou 70 anos de idade, sua família convidou seus amigos para uma comemoração no Salão Sharau Festas. Quase todos atenderam ao chamamento e lotaram o Sharau.
Lauthenay aparece no meio de alguns amigos: Nildo. Cao. Nenem. Adelaide. Valmar. Walter Guimarães. Bebé e Chumbinho. Foi uma noite muito agradável.

 2006 -  Homenagem do Governo do Estado.

1971 - Lauthenay na porta do BNB Clube, em Guaxuma,
ao lado do seu fusquinha azul.

1951 - Ataque do time do Colégio Guido jogando descalço no campo do mutange.
Em pé: Sarmento. Lauthenay e Bilunga.
Agachados: Agremam e Criszogono.


No inicio dos anos oitenta Lauthenay iniciou uma série de depoimentos com antigos craques do nosso futebol. Nesse dia, o convidado foi Deda, campeão alagoano pelo CSA nos anos de 1963 e 1965. Além do Lauthenay ajudou no depoimento o colega Claudemir Araujo.


Nesse evento, Lauthenay completava 50 anos de idade e 25 de Banco do Nordeste. No auditório do BNB Lauthenay recebeu familiares e amigos. Na foto aparecem, Augusta. Lauthenay. Nitô. Vitorinha e Netario. Os três últimos já faleceram.



1957 - No 16 RI na cidade de Natal.
Quatro aspirantes alagoanos - Menescal, Dilvo. Zé Mendes e Lauthenay
no meio de cabos e soldados.

1962 - Lauthenay visita a Vila Belmiro, Estádio do Santos.


1982 - Lauthenay com a camisa do seu Centro Sportivo Alagoano.
Essa camisa pertenceu ao Jorginho Siri.


Lauthenay aparece com a camisa que Pelé vestiu no primeiro tempo no jogo de inauguração do Estádio Trapichão, o Rei Pelé, em 1970 - Santos 5 x Seleção Alagoana 0.
Esta camisa foi uma doação do Vinicius Maia Nobre, o engenheiro chefe da construção do Estádio.


Quando começamos em 1958 eramos dois - Eu e Augusta.
Hoje, 2015 somos treze. Na foto vemos onze - Flávia. Marcela. Goreti. Valéria. Augusta. Mariana. Gabriela. Marta. Pedro Henrique. Daniela e Eu. Chegaram depois - Maria Luiza e Filipe.
Como temos 90% de mulheres aproveito esse dia importante - Dia Internacional da Mulher - para dizer simplesmente - Amo todas vocês e mais o Pedro Henrique.


Quando completou 80 anos Lauthenay reuniu na sua casa a familia e alguns amigos.
A foto foi na hora de apagar a velinha. O aniversariante aparece junto com
Marcela. Gabi. Mariana e Daniela (netas) e Augusta (esposa).Acontece em agosto do ano passado.


Lauthenay completava 70 anos e aparece ao lado das netas -
Daniela. Marcela. Gabriela e Mariana além da esposa Maria Augusta.


1956 - Lauthenay no CPOR.
Depois de uma longa e cansativa caminhada todos acamparam em Satuba.A foto foi tirada antes da armação das barracas pelos colegas.

Era assim que Lauthenay gostava de brincar com uma bola de borracha na Praia da Avenida.
A foto foi tirada pelo Ivon Cordeiro.

Minhas Recordações - Parte II

Quando a gente não tem o que fazer, deita na rede e começa a pensar nos bons tempos que vivemos há muitos e muitos anos. Afinal, são 80 anos bem vividos e momentos bem diferentes dos dias de hoje.
Nossa Maceió era mais calma. Podíamos sair à noite sem o perigo de sermos assaltados. Nossos pais eram mais presentes e cobravam as notas do Colégio. Eu mesmo só levei uma única surra do meu pai. Estudava no Colégio Diocesano, cometi uma indisciplina e fui punido com zero em comportamento. Antes de entregar o boletim ao meu pai, coloquei o número um na frente do zero. Seu João estranhou o dez no comportamento e foi ao Colégio para saber a verdade. Meu pai, que sempre foi meu amigo, dava-me quase tudo que eu precisava e conversava muito comigo. Nesse dia, não gostou de ser enganado. Aí...
Demorei pouco no Colégio Diocesano, hoje, Colégio Marista. Fui para o Colégio Guido, onde terminei meus estudos por lá. E tenho boas recordações. Lembranças dos meus professores como Teobaldo, Dr. Clóvis, Dona Teônia, Padre Teófanes e muitos outros que nos ensinavam com muito carinho. O Guido, hoje uma extensão do CESMAC, era colado com o Colégio Santíssimo Sacramento. E as paqueras eram inevitáveis. Minha esposa, Augusta, estudou lá no Sacramento junto com minhas irmãs.
Nessa época de Colégio, um caso interessante. No dia 8 de agosto, naquela época, comemorava-se o dia do estudante e sempre promoviam um jogo Guido e Diocesano. Normalmente no campo do CSA, o Mutange, para onde todos iam de bonde até Bebedouro. E o jogo era praticamente um clássico CSA e CRB. O Guido jogava de azul e o Diocesano de vermelho. E tinha mais, a maioria dos jogadores pertencia a esses dois tradicionais clubes.
Uma das coisas que sempre me traz ótimas recordações são os carnavais. Nunca fui muito de brincar no meio do frevo, mas gostava de observar a turma pulando e se divertindo. Em toda extensão da Rua do Comércio, tinham alto-falantes que tocavam frevos para a moçada. E o corso? Só levava alegria para todos que pulavam ou ficavam na calçada apenas assistindo. Eram os carros, sempre abertos, desfilavam  pela rua do Comércio, fazendo o contorno na Praça dos Martírios e voltando pela rua onde ficava o Jornal de Alagoas, o Diário Oficial, o Bar do Chopp e entrando novamente na Rua do Comércio passando em frente ao Cine Arte, Lojas Brasileiras e Casa Ferreira.  Serpentinas, confetes, talco e alegria, muita alegria. 
Nosso meio de transporte era o Bonde e a Sopa. A Sopa era o ônibus e eu nunca entendi porque a população chamava de Sopa. O bom mesmo era o Bonde. A gente saltava com ele andando. Na Praça Sinimbu, era onde ficava a Garagem dos Bondes. No meu tempo, existia uma pequena ponte que ligava a Praça à Praia da Avenida. Era por baixo dessa ponte que passava o Riacho Salgadinho. Ele corria por onde hoje existe o Clube Fênix e caia no mar em frente às Lojas Americanas que veio muitos anos depois.
A praia era o nosso lugar preferido. Morávamos na Rua Barão de Atalaia e era pertinho da praia. Juntava eu, Valmar, Ivon, Jackson e Valtinho para jogar com bola de borracha, na famosa zorra, quando ficava um no gol e outros controlavam a bola para chutar no gol improvisado. Plagiando Aldemar Paiva, depois de um bom banho, ficávamos olhando “o mar beijar a areia”. Para voltar para casa e atravessar a rua era uma tranquilidade. Apenas o bonde passava lentamente em direção à Jaraguá. Automóveis, raramente. E era como diz o ditado – “Éramos felizes e não sabíamos.”
No futebol, não tínhamos torcidas organizadas. Talvez, até, desorganizadas. Contudo, sem criar problemas entre elas. E já que falamos em futebol, não esqueço quando fui treinar pela primeira vez no CSA. Dr. Alfredo me viu jogar no Tiradentes, clube juvenil de estudantes, e me convidou para treinar no Mutange. Um dia, quando lá cheguei, vi-me no meio dos jogadores que eu estava acostumado a assistir do lado de fora do gramado. Dudu, Paulo Mendes, Zanélio, Oscarzinho, Biu Cabecinha, Zé Maria e, principalmente, o Dida. Como já o conhecia, ele tratou de me deixar bem à vontade. Levei minha chuteira, Seu Antônio, pai do Peu, Jorginho, Manoelzinho e Chico, era quem tomava conta do campo do Mutange e de quem me tornei um grande amigo.  
Ele me deu uma camisa do segundo time e descemos para o campo. Na época, não tinha esse negócio de fazer o tradicional aquecimento. Íamos direto para o coletivo. E na primeira bola que me deram, o zagueiro Neu não aliviou nada. Entrou forte na jogada e me jogou lá perto da grade. Quando me levantei, ele disse – Garoto, aqui não tem  moleza. Se quer jogar aqui, tem que aguentar o tranco.
Aprendi e passei três anos vestindo a camisa azul do nosso querido CSA.


Lauthenay na praia da Avenida da Paz em 1952.

Minhas Recordações
Esta semana, descansando, fiquei lembrando que, durante muitos anos, dediquei-me a pesquisar coisas do esporte e esqueci do meu tempo de adolescente aqui mesmo em Maceió. Particularmente, gosto muito de voltar no tempo e recordar. Muitos fatos, coisas e causos foram citados em nossas crônicas através dos anos. Histórias de jogadores, clubes, árbitros, dirigentes e entidades foram comentadas em nossos “Arquivos Implacáveis” nos jornais da cidade. Foram registros que serviram para mostrar às novas gerações os acontecimentos do passado.
E no final de semana me veio aquela pergunta – E o seu passado? Quais as coisas boas que você viveu na sua adolescência? E eu resolvi mergulhar e recordar a minha meninice através dessas lembranças que me fazem retornar ao passado com muita saudade. Certamente, muitos irão se lembrar comigo.
Deixando a parte esportiva de lado, chega a minha memória o bom tempo da Praça Deodoro. Os papos com os amigos, a circulação pela Praça dos rapazes indo e das moças voltando. Era mais ou menos uma “paquera” ou, como chamavam na época “quem me quer”. A tranquilidade do centro do Comércio onde todos ficavam conversando na porta do Bilhar do Comércio e em frente ao Cinearte, o maior cinema da cidade. E ali bem perto tinha as Lojas Brasileiras, a Casa Ferreira e Quatro e Quatro Cento.
O amigo Zezé cortava o nosso cabelo na Barbearia que ficada em frente à Drogaria Globo. E não faltavam eram cinemas. O Lux na Ponta Grossa, o Ideal pertinho do Mercado onde hoje fica uma feirinha, o Royal nos fundos do Teatro Deodoro, o Rex na Pajuçara perto do campo do CRB, o Plaza quase ao lado da Praça Bomfim. Os filmes? Eram lindos musicais, bang bang, e o que chamávamos de filmes de amor.
Nosso cotidiano era no Colégio Guido pela manhã, centro do Comércio pela tarde e Praça Deodoro à noite. E na Rua do Comércio passava o bonde nos trilhos que ia em direção à Assembleia para fazer o retorno pela Rua do Sol. Lanchei muito no Bar Colombo, o qual ficava onde hoje está o Banco HSBC ao lado da Igreja do Livramento.
Boas lembranças do Café Central do pai do Dida, jogador do CSA, Flamengo e campeão do Mundo em 1958. Seu Jaime tinha um ponto estratégico para os desportistas da época, seus fregueses.
Quase esqueci... Como era bom ver o Relógio Oficial no centro do Comércio. E tinha uma figura folclórica, que os do meu tempo devem se lembrar muito bem, o Seu. Fortes. Um idoso de cara fechada sempre com um cajado na mão e que andava muito rápido reclamando de tudo e todos, mas não fazia mal a ninguém. Algumas pessoas é que faziam pouco do Seu. Fortes.

A verdade é que ainda revivo momentos preciosos da minha infância e da minha juventude, cheia de sonhos e encantamento, e me sinto feliz e reconfortado por ter a oportunidade de ainda estar aqui, falando de coisas que fizeram parte da minha vida e sem medo nenhum de denunciar minha idade.
2014 - Uma das visitas do Aldo Rabelo, ao Museu dos Esportes.
O Ministro dos Esportes aparece com o livro - A História do Futebol Alagoano,  Arquivos Implacáveis. Lauthenay Perdigão, Diretor do Museu  conversa com o Governador Téo Vilela.

2011 - Lançamento da segunda edição do Livro - A História do Futebol Alagoano -
Arquivos Implacáveis - em Arapiraca. Lauthenay aparece na foto autografando um livro para uma jovem estudante da cidade.

Lauthenay sendo entrevistado pelo Edson Moura da TV Pajuçara
no Museu dos Esportes neste ano de 2014.

Lauthenay e Augusta sempre recebendo o carinho e apoio das netas -
Daniela. Marcela. Gabriela e Mariana. Faltou a Flávia que está morando em Aracaju.

1993 - Dia do lançamento do livro do Dida - Histórias de um Campeão do Mundo.
O livro foi escrito por Luiz Alves e prefácio de |Lautheny Perdigão.
Na foto Dida aparece autografando um livro para Marcela, neta do Lauthenay.
Ainda aparecem na foto Luiz Alves. Bastinhos. Gilmar Camerino e Arnaldo Lyra.

1957 - Lauthenay vestia a camisa da seleção do Exército em Natal.
Foi no dia na final do campeonato das Forças Armadas. O Exército venceu a Aeronática
por 2x0 e se sagrou campeão. Quem fez os gols? Lauthenay.

  
O campeão dos campeões, Zagalo, esteve no Museu dos Esportes para receber as homenagens
dos alagoanos no projeto - Cantinho da Saudade. 
Zagalo aparece ao lado do diretor do Museu Lauthenay Perdigão.

1994 - Um ano depois da inauguração do Museu dos Esportes, dois zagueiros que defenderam a seleção alagoana em 1952 fizeram uma visita ao amigo Lauthenay Perdigão - Divaldo Lindoso e Cacau que jogaram no CRB. Além do Museu eles também visitaram o Estádio Rei Pelé depois de sua primeira reforma.

Lauthenay e suas três filhas -
Virgina Goretti. Patricia Valeria e Marta Eugênia.

1993 - Logo depois da inauguração do Museu dos Esportes Edvaldo Santa Rosa fomos a casa do Edson, irmão do Dida, para ouvir um depoimento do craque alagoano que brilhou no futebol brasileiro. Durante quase duas Dida contou toda sua história desdo tempo do juvenil do América. Foi um depoimento verdadeiro e corajoso.

Lauthenay mostrar a camisa que Pelé vestiu no primeiro tempo da inauguração do Trapichão, o Estádio Rei Pelé no dia 25 de outubro de 1970. Ele fez dois dos cinco gols assinalados pelo Santos na vitória sobre a seleção alagoana por 5x0.

1982 - Lauthenay participando de um programa da TV Alagoas - É Hora de Esporte.
O programa ia ao ar todas as segundas feiras as 22 horas para comentar a rodada do
campeonato alagoano e depois do campeonato brasileiro.

Lauthenay e o amigo Roberto Mendes no dia do lançamento do livro - 
História do Futebol Alagoano, Arquivos Implacáveis.


O livro - História do Futebol Alagoano, Arquivos Implacáveis de Lauthenay Perdigão - já está pronto. A Editora Graciliano Ramos já programou para o dia 16 deste mês de outubro o seu lançamento no Parque Shopping Maceió as 19 horas, na Livraria Leitura.


Lauthenay em 1948 na sua residência com a camisa do Vasco da Gama. Esta camisa foi doada ao Lauthenay pelo seu grande ídolo - Ademir Menezes, craque artilheiro do clube cruzmaltino. 

2007 - Lauthenay teve o prazer de receber a visita de dois grandes amigos que estiveram juntos no rádio alagoano dos anos sessenta.
Vagner Novaes na Rádio Gazeta e Ronal Benamor na Rádio Difusora..

Lauthenay no seu Museu e a camisa que Pelé usou no primeiro tempo do jogo de inauguração do Estádio Trapichão, o Rei Pelé. A camisa está autografada pelo Rei do Futebol.

1984 - Aniversário de 50 anos do Lauthenay e 25 anos de Banco do Nordeste.
A festa foi realizada no auditório do Banco do Nordeste que conseguiu reunir colegas de trabalho, amigos e familiares do Lauthenay. Na foto vemos a esposa Augusta, Lauthenay e a filha Marta.

No Hall da Fama Lauthenay Perdigão, o grande Márcio Canuto, grande também no tamanho,
coloca a impressão de seus pés no salão que fica no Trapichão, o Rei Pelé, localizado no segunda andar o Estádio.

2014 - Quando Cláudia Bulhões nos visitou para fazer uma reportagem sobre o Museu dos Esportes para seu programa na TV Maceió e me perguntou qual o time que eu torcia, disse claramente 
- Joguei no CSA e sempre fui azulino.
 Cláudia fez questão de nos filmar junto ao estandarte do Centro Sportivo Alagoano.  
Aproveitamos a oportunidade para agradecer a Diretoria do CSA pela homenagem que vai nos prestar na próxima terça feira, no Mutange as 16 horas. Todo meu universo feminino estará presente ao acontecimento.

1993 - Lauthenay no dia da sua aposentadoria no Banco do Nordeste do Brasil.
Depois de trinta e quatro anos de bons servisços prestados ao BNB ele recebeu o aval do
Governador Geraldo Bulhões para criar o Museu dos Esportes no Trapichão, o Estádio Rei Pelé.

Nos anos sessenta Lauthenay saia procurando antigos idolos do futebol alagoano e contar sua história para a nova geração. Ele aparece na residência do ex-goleiro do América e CSA , Eduardo Bezerra Montenegro, o popular Dudu, que contou sua história e cedeu várias fotos para ilustrar a reportagems que saiu nas páginas da Gazeta de Alagoas.

Um feliz reencontro.
Em 1952, quando Lauthenay jogou pelo CSA, o presidente do clube azulino era Dr. Carlos Ramiro Bastos.
Na sede do clube, no Mutange, entre fotos e troféus, os dois se reenontraram para relembrar as conquistas naquela época.

Lauthenay e uma das reliquias do Museu dos Esportes.
A camisa autografada que Pelé usou no primeiro tempo do jogo de inauguração do Trapichão, o Estádio Rei Pelé, no dia 25 de outubro de 1970. Essa camisa foi doada ao Museu dos Esportes pelo engenheiro que participou da construção do Estádio, Vinicius Maia Nobre.

Lauthenay aparece ao lado do grande centro avante do Clube de Regatas Brasil Reinaldo.
Ele prestava um precioso depoimento sobre sua vida comentando com detalhes os bons e maus momentos vividos por ele como jogador de futebol.

Nos anos oitenta Lauthenay aparece na foto com a camisa do Centro Sportivo Alagoano que faz parte de seus arquivos. Mesmo no tempo de cronista esportivo nunca negou que jogou no CSA e é torcedor do clube azulino.

Logo depois de ser operado com uma protese na cabeça do femur
Lauthenay estava sempre recebendo a visita de suas netas para apoiar o avó.
Na foto ele aparece com Marcela. Maiana. Daniela e Gabriela.
Faltou a Flávia que está morando em Aracaju.

1963 - Depois de começar na Rádio Progresso Lauthenay se transferiu para a Rádio Gazeta de Alagoas que tinha sido recentemente inaugurada.
Dirigindo o seu Departamento de Esporte ele aparece no campo da Pajuçara ao lado do saudoso Jorge Vilar. Lauthenay enviava para o locutor Sabino Romariz as escalações das equipes que jogariam naquela tarde.

Anos oitenta. Lauthenay conversa com o antigo ponta esquerda Silva.
O craque do CRB concedeu um depoimento para os arquivos do Museu dos Esportes
contando toda a história da sua vida no futebol.

1955 - Lauthenay com o uniforme do time do Tiradentes quando foi a Recife jogar contra juvenil do Esporte Clube do Recife na Ilha do Retiro. Os pernambucanos venceram por 2x1. O Esporte tinha dois jogadores que brilharam no futebol mundial: o goleiro Manga e o atacante Almir Pernambuquinho.

Lauthenay e suas três filhas.
Virginia Goreti. Patricia Vazléria e Marta Eugênia.

1952 - Aspirantes do Centro Sportivo Alagoano.
Em pé: Penedo. Nildo. Berenaldo. Derivaldo. Arestides e Du.
Agachados: Walfredo. Deda. LAUTHENAY. Ié e Capoteiro.

Lauthenay Perdigão aparece abraçando alunos do Colégio Santissimo Rei.
Foi mais um Colégio que esteve visitando o Museu dos Esportes nesses dias que antecede ao inicio de mais uma Copa do Mundo.

Ordem do Mérito dos Palmares.
Uma homenagem do Governo do Estado ao jornalista Lauthenay Perdigão.

No ano de 1962 o CRB realizou uma temporada em Aracaju. Em seu plantel tinha alguns jogadores da divisão de base. Lauthenay que seguiu com a delegação alvi rubra para cobrir os jogos procurou ouvir os jovens sobre a oportunidade que tinham no time principal do CRB. Lauthenay aparece com seu gravador no aeroporto de Aracaju preparando a gravação com Jackson. Jarbas. Cedrim. Airton e Geraldo Lopes. Esse era o unico veteranos do grupo.

Lauthenay no Estádio Trapichão, o conhecido Rei Pelé. Um estádio que ele viu ser construído. Lauthenay fez parte da comissão criada pelo Governador Major Luiz Cavalcante para escolher o local da construção no Estádio Estadual. E tudo começou em março de 1968.

Lauthenay aparece no seu Museu separando material para uma nova exposição. Neste mês de abril a exposição é apenas com fotos e material sobre a seleção brasileira que não participou das Copas do Mundo. Uma história com fotos da seleção desde 1914 até os dias de hoje. A partir do dia 20 de maio uma nova exposição será colocada no Museu dos Esportes. Desta vez fotos da seleção brasileira que participou das Copas. O Brasil é o único pais que participou de todas os Mundiais. Contaremos a história ilustrada da seleção nas Copa dos Mundo.


2013 - Lauthenay conversa com o repórter Thiago da TV Pajuçara sobre a venda do
Estádio do Clube de Regatas Brasil.

Lauthenay e Madson Delano no gramado da Vila do SESI na Cambona antes de uma rodada do campeonato que lotada as arquibancadas. Lauthenay ia fazer a cobertura para o futuro Museu dos Esportes e Madson narrar os jogos para a TV Gazeta de Alagoas.

1964 - Festa dos melhores promovida pelo departamento esportiva da Rádio Gazeta de Alagoas no auditório da própria emissora. Na foto, o diretor de esportes Lauthenay entrega ao saudoso Tenente Madalena seu diploma e placa como o melhor técnico da temporada. Ao seu lado aparece o locutor Jorge Vilar.

Lauthenay recebe do presidente do Centro Sportivo Alagoano uma flâmula e uma camisa do Talhares da Argentina além da medalha de vice campeão da Commebol e a camisa usada pelo clube azulino na competição.  O CSA decidiu  com o Talhares o titulo de campeão na Argentina. Ficou com o vice campeonato.

1955 - Lauthenay no Tiradentes.
O clube alviverde era formado por estudantes, amigos e
dirigido tecnicamente pelo Ivon Cordeiro.

  2013 - Lauthenay aparece abraçando a estatua do amigo Dida que jogou no CSA, no Flamengo e na seleção brasileira na Copa de 1958. Dida dá o seu nome ao Museu dos Esportes.

Aos completar 78 anos Lauthenay levou sua família para comemorar em uma lanchonete.
Ele aparece ao lado da esposa Augusta e das netas Daniela. Marcela. Mariana e Gabriela. Faltou a Flávia que está em Aracaju.


1957 - Lauthenay no 16 Regimento de Infantaria na cidade de Natal quando foi fazer um estágio como aspirante do exército. Depois que encerrou suas ativas em Natal regressou a Maceió como primeiro tenente da reserva.

1997 - O Museu dos Esportes reuniu os campeões alagoanos de 1971. Antes de todos relembrarem os bons momentos vividos pela equipe do CSA naquele campeonato Soareste conversou com Fernando Palmeira da Rádio Gazeta que fazia a cobertura do evento. Lauthenay aparece filmando a entrevista do craque e o repórter.

1969 - Construção do Trapichão.
Lauthenay visitava o andamento da construção mês a mês. Ele aparece no lado das grandes arquibancadas do CSA sendo fotografado pelo Zé Ronaldo.

Este é o Hall da Fama no dia da sua inauguração e que tem o nome do Lauthenay Perdigão. Sua localização fica no quarto andar do Estádio Rei Pelé, o Trapichão.


A foto é da capa do caderno de Esportes da Gazeta de Alagoas em 2013.
Era uma reportagem sobre a história do Lauthenay na sua caminhada pelo esporte durante mais de cincoenta anos.

Lauthenay e Antônio Torres no Museu dos Esportes antes da Copa do Mundo de 2010.
Torres entrevistava Lauthenay sobre a história de todas as Copas.

Lauthenay e seus amigos na festa dos seus 70 anos.
O evento foi idealizado pela esposa, filhas e netas e foi realizada no Sharau Festa.
Uma  noite de muitas lembranças e muitas histórias.

No dia17 de janeiro deste ano de 2014 Lauthenay foi um dos homenageado no Teatro Deodoro com 
a Ordem do Mérito dos Palmares com o Grau de Cavaleiro.
Na foto o Governador Teotônio Vilela aparece colocando a Comenda do paletó do diretor do Museu dos Esportes. 

Para iniciar a solenidade autoridades e homenageados aplaudem o hino nacional brasileiro.

Nos anos oitenta Lauthenay aparece vestido com a camisa do América Mineiro.

1964 - Campeonato brasileiro de voleibol realizado em Brasília.
Dudu. Sabino Romariz e Lauthenay observam o carro do Toroca que fez a viajem de Maceió a Brasília e no meio do caminho deu uma batida.

2013 -Lauthenay ao lado da vitrine que tinha exposição somente com camisa de clubes estrangeiros.

1955 - Jogando pelo Tiradentes em Palmeira dos Índios contra o CSE, Lauthenay encontrou um garotinho com a camisa do Vasco. Torcedor do clube de São Januario resolveu tirar uma foto com o pequeno vascaíno.

Nos anos 80 - Lauthenay começou uma serie de depoimentos com jogadores que já estavam aposentados. Na foto o atacante Silva conta sua história. Na época os depoimentos eram realizados no Teatro Deodoro.


Voltando no tempo. Anos sessenta. Lauthenay com esposa (Augusta) e suas três filhas:
Valeria. Marta e Goreti.

1963- Festa dos Melhores promovida pelo Departamento Esportiva da Rádio Gazeta de Alagoas.
Na foto, o diretor de esportes Lauthenay entrega o diploma a placa ao treinador Madalena. Ao seu lado está o locutor Jorge Vilar. O evento foi realizado no Ginásio do Clube Fenix Alagoano.
                 
1957 - Lauthenay no NPOR.
Depois de uma caminhada do 20ºBC, de Maceió até Satuba, Lauthenay e seus companheiros se preparam para armar acampamento no alto de uma colina. 

1956 - Lauthenay lendo a excelente Revista Manchete Esporte.
Este foto foi tirada na casa do seu irmão Manfredo Perdigão.

2013 - Lauthenay está gravando uma série de programas para TV Gazeta de Alagoas contando histórias sobre os grandes personagens do esporte amador de muitos anos atrás. O programa é o AL Esporte dos sábados as 8,30 da manhã com o comando de Klebes Los. Dois programas já foram ao ar. O primeiro com Sônia Gouveia e o segundo com Agatenor Vasconcelos. Três programas estão gravados. Fátima Pinto e Lucia Sarmento no voleibol e Veiga o grande artilheiro do Futebol de Salão dos anos sessenta. Na foto Lauthenay se prepara para gravar um desses programas.


Esta é a imagem do inicio do programa na TV - Isto é Alagoas.
Lauthenay foi o personagem homenageado. Ele falou sobre sua caminhada pelo mundo dos esportes desde de 1958.

Neste mês de outubro - dia 25 - o Trapichão estará completando 43 anos de existência.
Tudo começou em março de 1968 com o lançamento da pedra fundamental. Lauthenay acompanhou todo aandamento da obra. Na foto o diretor do Museu estava fotografando os finalmentes da construção. O estádio estava pronto. Falta apenas sua inauguração.

Depoimento do arbitro Pelopidas Argôlo aos cronitas
Lauthenay Perdigão e Luiz Alves.
O depoimento, em audio, faz parte dos arquivos do Museu dos Esportes.

Lauthenay e seus quatro amores. Suas netas:
Marcela. Mariana. Gabriela e Daniela.

Lauthenay Perdigão e Jorge Moraes participam do depoimento de Roberto Meneses realizado no Teatro Deodoro e que faz parte dos arquivos do Museu dos Esportes.

Lauthenay e Eliezer Setton participam na televisão do programa - Camisa 12. O bate papo foi realizado em um dos bares na Jatiuca.
1957 - Depois que terminou o NPOR em Maceió Lauthenay seguiu para Natal afim fazer um estágio no 16º Regimento de Infantaria. onde saiu como segundo tenente da reserva.

1970 - Lauthenay no dia do lançamento do seu primeiro livro - A história do futebol alagoano através dos tempos. O lançamento aconteceu na sede da Federação Alagoana de Desportos.

1952 - Aspírante do Centro Sportivo Alagoano.
Em pé: Palito (preparador fisico). Arestides. Dudu. Deraldo. Penedo. Nildo e Berenaldo.
Agachados: Pequeca. Napoleão. Ié. Lauthenay e Capoteiro.



No inicio dos anos oitenta Lauthenay começou a realizar uma série de depoimentos com os craques do passado. A foto é de um desses depoimentos. O personagens foi o goleiro Dudu que  jogou no America, CSA e seleção alagoana. Lauthenay aparece ao lado de Dudu e o narrador paulista Wanderley Ribeiro.

2013 - Na frente do Museu dos Esportes, Lauthenay recebe a visita do melhor arbitro do campeonato alagoano da temporada, George Feitosa.


Lauthenay recebe o abraço da amiga Adelaide Reys quando o diretor do Museu dos Esportes estava sendo homenageado pelas atletas do voleibol do CRB dos anos sessenta. Adelaide foi uma das mais perfeitas atletas do voleibol dos anos cincoenta e recebeu um convite especial para participar da bela festa aconteceu no primeiro andar do Estádio Trapichão, o Rei Pelé.

1955 - Nesta época havia algumas grandes equipes do futebol alagoano na categoria juvenil que eram formadas por estudantes. Os jogos entre essas equipe empolgavam os torcedores. Na foto Lauthenay no Tiradentes e Fernando Cotrim do Botafogo antes de uma dessas partidas.

1994 - Depois de visitarem o Museu dos Esportes três craques do futebol alagoano - Dudu. Cacau e Divaldo Lindoso - foram levados por Lauthenay para observarem como estava o novo Trapichão depois da reforma de 1993.

1965 - Lauthenay conversa com o antigo goleiro do América, CSA e seleção alagoana Dudu.
Era o inicio de uma série de reportagens para o Jornal Gazeta de Alagoas - Minha História, minha Vida. Lauthenay contava a história de antigos craques do futebol alagoano em três ou quatro capítulos.

1963 -O arbitro Benedito Loureiro e parte da equipe de esportes da Rádio Gazeta de Alagoas em Aracaju - Eutêmio Baracho. Renan Rosas e Lauthenay Perdigão. Todos foram fazer a cobertura de  jogos amistosos do CRB contra Sergipe e Confiança.

1969 - Em uma de suas vistas quinzenais ao futuro Estádio Estadual Lauthenay aparece procurando atravessar o caminho que daria para as grandes arquibancadas onde ficaria a torcedor do CSA.

Lauthenay que conheçe o Estádio Trapichão, o Rei Pelé, mesmo antes da sua construção foi, mais uma vez, homenageado pelo Governo do Estado com seu nome no auditório inaugurado.

1993 - Lauthenay no meio dos irmãos Santa Rosa: Wilson. Luiz. DIDA e Edson. A foto foi no dia do lançamento do livro - Dida, Histórias de um campeão do Mundo - que foi escrito pelo irmão Luiz Alves Santa Rosa.

2006 - Lauthenay aparece ao lado do amigo Márcio Canuto na inauguração o Hall da Fama. Márcio foi um dos homenageados pelo Governo do Estado.

Em 2011 Lauthenay lançou a segunda edição do livro - História do Futebol Alagoano, Arquivos Implacáveis. Na foto vemos a capa produzida pelo Valber Cortez e a contra capa com escrito de Jorge Moraes.


Os paraibanos solicitaram do Secretario, Eduardo Canuto, passar para Lauthenay a  "Comenda: Gente que faz a nossa Alagoas" como uma homenagem dos Amigos de Alagoas.



Os paraibanos, amigos de Alagoas, prestaram uma homenagem a Lauthenay em reunião na cidade de Marechal Deodoro. A Comenda: "Gente que faz a nossa Alagoas" tem a data de 22 de julho de 2004.

Lauthenay colaborou com a inauguração do MISA (Museu da Imagem e do Som de Alagoas) realizado uma exposição sobre o futebol alagoano. A foto é do dia da inauguração.

1991 - O bi campeão do mundo, Nilton Santos, fez o lançamento do seu livro - Minha Bola, minha Vida - no Museu dos Esportes. Nilton também foi homenageado no Cantinho da Saudade. Na foto o craque que somente jogou pelo Botafogo recebe um diploma do Lauthenay, diretor do Museu. O jornalista Antonio Correia que comanda o Cantinho da Saudade apenas observa.

1963 - No tempo da Rádio Gazeta de Alagoas. Lauthenay aparece nos vestiários da Pajuçara entrevistando o goleiro Batista do Centro Sportivo Alagoano..

2008 - Lauthenay e Augusta completaram cincoenta anos de casados. A familia preparou uma festa  no Salão Regente e lá recebeu os amigos para uma noite realmente inesquecivel.


Lauthenay aparece sendo entrevistado pelo jornalista Ricardo Mota no programa -
Pajuçara Especial.

1955. Uma volta no tempo. Três campeões de futebol pelo Colégio Guido -
Tazinho. Lauthenay e Cleistenes.



1967. A vontade de Lauthenay acompanha a construção do Estádio do Trapichão foi, também, porque ele fez parte da comissão nomeada pelo Governador Luiz Cavalcante para procurar um local onde seria construido o Estádio Municipal. Depois de muito procura a comissão encontrou uma vacaria onde hoje se ergue o majestoso Trapichão. A vacaria teve que ser desapropriada pelo Governo.

1969. Lauthenay fazia sua visita semanal para acompanhar a construção do Estádio Trapichão, o Rei Pelé.O diretor do Museu dos Esportes tem em seus arquivos mais de duzentas fotos da construção do  Estádio.

A equipe Veloz da Rádio Progresso de Alagoas comandada pelo paulista Wanderley Ribeiro realizou uma festa no Teatro Deodoro para premiar os melhores do esporte em 1986. Era o Prêmio Gogó da Ema. Lauthenay foi um dos premiados. Ele recebe do Edvar a sua homenagem.

Nos anos oitenta Lauthenay reuniu os campeões alagoanos de 1971. Na foto aparece o radialista Fernando Palmeira entrevistando um dos campeões do CSA Soareste. Lauthenay filma todo evento que são realizados no Museu dos Esportes.

Lauthenay quando ouvia o depoimento do Epaminondas o goleiro dos punhos de aço.
Durante os anos oitenta o diretor do Museu dos Esportes ouviu dezenas de depoinentos de jogadores que tinham encerrado sua carreira nos gramados e contavam sua história cheia de alegrias, sucessos e algumas decepções. Epaminondas jogou nos anos quarenta e cincoenta.

1963. Lauthenay, o reporter de campo, da Rádio Gazeta de Alagoas, entrevista no Estádio da Pajuçara o goleiro Pelopidas.

1982 - Lauthenay no programa da TV Alagoas que ia ao ar todas as segundas feiras as 22 horas - É hora de Esportes. No programa se comentava sobre os jogos que eram realizados no domingos.

Lauthenay e o treinador muitas vezes campeão Zagalo. Aconteceu em uma vezes que Zagalo visitou o Museu dos Esportes. Na oportunidade Lauthenay o homenageou no Cantinho da Saudade. Um dos mais concorridos na história do Museu.

Uma foto do Lauthenay vestindo com a camisa que Pelé usou no primeiro tempo do jogo de inauguração do Estádio Trapíchão, o Rei Pelé. A camisa foi uma doação do engenheiro Vinicius Maia Nobre para os arquivos do diretor do Museu dos Esportes.

2011. Lançamento da segunda edição do livro do Lauthenay - Arquivos Implacaveis, a história do futebol alagoano. O evento foi realizado no auditório do antigo Colégio Guido e contou com a presença de familiares, amigos e estudantes. No primeiro plano da foto aparecem os profressores Paulo e Pereira Neto.

No campo do Sesi Lauthenay aparece ao lado do Madson Delano. O diretor do Museu foi filmar lances dos jogos para seus arquivos e o locutor da TV Gazeta foi narrar os jogos do campeonato.

Lauthenay em companhia de três atletas que participaram de campeonatos brasileiros de seleções vestindo a camisa da seleção alagoana. Dudu foi goleiro da seleção em 1946. Cacau e Divaldo Lindoso formaram a zaga da seleção de 1952. A foto foi tirada no estádio Trapichão, o Rei Pelé.

Lauthenay participa do grupo de instrutores do Curso de Formação de Arbitros de Futebol  com a disciplina - História do Futebol. Todos os anos ele recebe seu certificado de participação.

Lauthenay entrevista Zé Mendes, um dos atletas do nosso voleibol dos anos cincoenta e que jogou pelo Flamengpo da Parça Deodoro. Esse depoimento se encontra nos arquivos do Museu dos Esportes.

Lançamento da segunda edição do livro - Arquivos Implacavéis, A história do futebol alagoano. Na foto Lauthenay aparece autografando seus livros ao lado da neta Marcela.

Jucá Santos, Presidente da Academia Maceioense de Letras. escreveu uns versos para homenagear o diretor do Museu dos Esportes Lauthenay Perdigão.

Lauthenay mostra aos visitantes a fotografia do Trapichão no dia da sua inauguração no dia 25 de outubro de 1970. No jogo inaugural o Santos com Pelé venceu a seleção alagoana por 5x0. Pelé fez dois.

Nos anos oitenta Lauthenay começou a realizar uma série de depoimentos com atletas que já tinham deixado de jogar. Além do jogador convidado também participava cronistas para ajudar na entrevista.
Na foto os convidades eram o jornalista Jorge Moraes e o craque Roberto Menezes. Anos depois esses depoimentos foram incorporados aos arquivos do Museu dos Esportes.

Ao completar 70 anos Lauthenay foi surpreendido com um bela festa organizada pela esposa, filhas e netas. Tudo aconteceu no Sharau Festa. Parentes e amigos passaram uma noite de agosto de 2oo5 bebendo e se divertindo. Muito papo, muitas histórias e uma boa musica. Foi uma noite inesquecivel.[

1952 - Lauthenay no Centro Sportivo Alagoano ao lado de três companheiros -
Deda. Sued e Walfredo.

2010 - Lauthenay aparece sendo entrevistado quando da inauguração da Vila Olimpica que tem seu nome.
A homenagem foi feita pelo Prefeito Cicero Almeida e o Secretario de Esportes do Municipio Eduardo Canuto.

No inicio dos anos sessenta Lauthenay deixou a Rádio Progresso e se transferiu para a recém inaugurada Rádio Gazeta de Alagoas. Foi convidado para organizar o segundo departamento de Esportes da emissora. Com a ajuda de Francisco Magalhães. Jader Cabral. Vagner Novaes (em pé). Jorge Vilar e Sabino Romariz (agachados), Lauthenay conseguiu colocar a Rádio Gazeta com a maior audiência no Estado. A equipe ainda tinha Jurandir Costa que trabalhava no plantão esportivo e comandava o programa - O Esporte em Grande Estilo. Antes ia ao ar o programa do Jorge Vilar - Ora Bolas.

1989. Lauthenay foi homenageado com a Bola de Ouro pela sua contribuição a comunicação esportiva..

No inicio dos anos oitenta Lauthenay fez sua terceira exposição no Teatro Deodoro. Foram fotografias do futebol alagoano com suas equipes e jogadores.

1969 - O Trapichão, o Rei Pelé ainda estava em construção. Lauthenay que acompanhou, mês a mês sua construção, aparece no local onde iria ser plantada a grama do Estádio.

1962 - Temporada do CRB em Aracaju.
No aeroporto sergipano Lauthenay grava reportagens com jogadores do clube alagoano para a Rádio Gazeta de Alagoas. Os atletas do CRB são: Jackson. Jarbas. Cedrim. Airton e Geraldo Lopes.

2010. Lauthenay mostra a camisa do Pelé autografada. Foi um presente do amigo Vinicius Maia Nobre que fez parte dos engenheiros que ajudaram a construir o Estádio Trapichão, o Rei Pelé. A camisa foi do jogo de inauguração do estádio - 25 de outubro de 1970 - Santos 5 x Seleção Alagoana 0.
Lauthenay e o saudoso Reinaldo.
O antigo craque do CRB contava sua história para os arquivos do Museu dos Esportes.
No in icio dos anos setenta Reinaldo era um dos craques do time do Clube de Regatas Brasil campeão de 1973. Hoje é apenas um pedaço de saudade na história do futebol alagoano. No Museu dos Esportes Reinaldo será sempre lembrado pelo seu depoimento que concedeu ao Lauthenay.

Antes da inauguração do Hall da Fama, o homenageado Lauthenay Perdigão, posou para fotografia ladeado pelos tri campeões do mundo Brito e Carlos Alberto Torres além do Secretário Marlon Batista e o Governador Luis Abilio.

2006 - Inauguração do Hall da Fama Lauthenay Perdigão. Uma homenagem do Governo do Estado ao diretor do Museu dos Esportes. O Hall da Fama fica localizado no quarto piso do Estádio Trapichão, o Estádio Rei Pelé.

O treinador muitas vezes campeão do mundo, Zagalo, foi homenageado no projeto do Museu dos Esportes - Cantinho da Saudade. Na foto ele aparece ao lado do Antonio Correia. Lauthenay está falando sobre sua passagem pelo futebol como jogador e técnico.
10º Campeonato de Futebol das Comunidades Carentes de Maceió. A competição promovida pelo Museu dos Esportes com o apoio da Prefeitura Municipal. Lauthenay era o coordenador do evento foi disputado durante 17 anos. Na foto Lauthenay está no meio dos atletas e dirigentes dos clubes que ouvem o Hino Nacional tocado pela Banda Musical da Prefeitura.

1983 - Lançamento do terceiro livro do Lauthenay no Estádio do Trapichão, o Rei Pelé.
Na foto Lauthenay aparece ao lado de seus amigos; Divaldo Suruagy, Haroldo Miranda. Antonio Torres, Gastão Cavalcante e Ventania, um antigo craque tetra campeão no CRB em 1940.

Nos anos oitenta Lauthenay começou a série de depoimentos com craques do futebol do passado. Era a lembrança dos jogadores pouco lembrados. Histórias do passado para a nova geração conhecer a vida esportiva de muito craques que brilharam no futebol alagoano. Na foto Lauthenay e Luiz Alves ouvem a história de Claudinho um craque que encantou no CRB, na seleção alagoana, no Bahia e no Sport Recife.

1983 - Lauthenay realizou no Trapichão o lançamento do seu terceiro livro - Arquivos Implacáveis, a História do Futebol Alagoano. Na foto Lauthenay aparece autografando seus livros para Aurélio Lages e Divaldo Suruagy.

Quando Lauthenay completou 70 anos sua familia preparou uma festa-surpresa no Salão Sharau.
Como bom vascaino, o cenário do salão estava repleto do coisas do Vasco da Gama. Na foto, a familia, esposa filhas e netas, cantavam o parabens prá você.

2006 - Lauthenay recebeu da Camâra Municpal de Arapiraca o titulo de Cidadão Honorário de Arapiraca.

No dia Internacional da Mulher, Lauthenay homenagea todas as mulheres do Brasil. Em particular, o seu universos feminino, a sua familia que aparece representada na foto pela sua esposa Maria Augusta.

Anos oitenta. A familia estava crescendo e o jeito foi ficar somente no Banco do Nordeste. Lauthenay deixou o departamento esportivo da Rádio Difusora mas não se afastou do futebol. Ficou colaborando com o Rádio e o Jornal. Os dois horários eram destinados ao trabalho no banco. A colaboração era escrita a noite. A familia da foto - Valéria. Marta. Augusta e Goreti.

Anos setenta. Era o primeiro livro escrito por Lauthenay - Futebol Alagoano Através dos Tempos.
O lançamento foi realiado na sede da Fedaração Alagoan a de Desportos. Lauthenay aparece na foto ao lado do Presidente da entidade, Orlando Gomes de Barros.

Anos setenta. O  Governo do Estado através do Diretor da Rádio Difusora de Alagoas, Tobias Granja, homenageou Lauthenay com seu nome na inauguração da sala de Esportes da emissora.
Na foto Lauthenay aparece ao lado do Governadro Afrâncio Lages cortando a fita para inagurar da sala.
.
1970. O Estádio Trapichão já estava pronto. Lauthenay faz uma vistoria em toda construção para escrever alguma coisa para os jornais .

1947. Lauthenay no quintal de sua casa com a camisa do Vasco da Gama. Nessa época Lauthenay já torcia pelo clube da cruz de malta. Tinha quinze anos de idade.

1947 - No Colégio Guido com seus companheiros de turma.
Ricardo. Loureiro. José. Lauthenay e Silvio.

1948 - Time do Colégio Guido. Naquela epoca podiamos jogar no campo do Mutange. Eram partidas do Colégio e ainda jogavamos descalços. Lauthenay aparece como centro avante. Tinha como compamheiros de ataque Agreman. Geraldo. Bilunga e Jouber.

1953 - Lauthenay batendo bola na Praia da Avenida.


1952 - Lauthenay vestindo a camisa do Centro Sportivo Alagoano no campo do Mutange.

1953 - Lauthenay campeão  pelo Centro Sportivo Alagoano.

1953 - Centro Sportivo Alagoano.
Em pé: Penedo. Nildo. Berenaldo. Derivaldo. Arestides e Du.
Agachados: Valfdredo. Deda. Lauthenay. Ié e Capoteiro.

1953 - Lauthenay no Tiradentes.
Era um time de estudantes que fez muito sucesso durantes alguns anos.

1953 - Tiradentes.
Em pé: Walmar. Emanual. Jedir. Aguiar. Geninho. Cleistenes e Ivon Cordeiro (técnico).
Agachados: Agreman. Moacir. Lauthenay. Mauro e Tazinho.


1955 - Tiradentes.
Em pé: Carrinho(massagista). Walmar. Ionildo. Cleistenes. Geninho. Jedir. Barra e Ivon Cordeiro(técnico).
Agachados: Agreman. Sarmento. Lauthenay. Aguiar e Tazinho.

1955 - O Tiradentes foi jogar em Palmeira dos Indios contra o CSE e o vascaino Lauthenay encontrou um pequeno torcedor com a camisa do Vasco. Não resistiu e tirou uma foto ao lado do garoto também vascaino.

1955 - Tiradentes no Recife para jogar contra o juvenil do Esporte Clube do Recife na Ilha do Retiro. O Esporte tinha em seu plantel o goleiro Manga e o atacante Almir Peranmbuquinho. O Tiradentes perdeu por 2x1 e mostrou que era um clube organizado. Quando jogava fora de Maceió a delegação saia com um belo uniforme. Calça e camisa branca e um paletó cinza com o escudo do Tiradentes.

1957 - Lauthenay aparece na foto junto com sua noiva Augusta. Era o dia de encerramento do curso de Oficiais da Reserva do Exercito. A foto foi tirada na Praça dos Martirios.

1957 - Quando terminou seu curso do CPOR em Maceió Lauthenay foi designado para fazer um estágio en 16º Regimento de Infantaria na cidade de Natal.


1957 - Lauthenay seguiu para Natal com o amigo Walmar Brêda. Lá encontrou mais dois amigos: Dilvo e Menescal.

1957 - Em Natal havia uma Olimpiada de futebol militar. Lauthenay era o centro avante da equipe do Exercito representado pelo 16 RI.

1957 - Este era o time do Exercito que venceu a Aeronautica na decisão por 2x0 com dois gols do Lauthenay. No time havia outro alagoano, o zagueiro Walmar Brêda que aparece como o primeiro em pé.

1958 - Lauthenay ingressou na Rádio Progresso e com começou a escrever para o Jornal Diário de Alagoas.

1961- Lauthenay casou com Augusta em 1958 e no ano seguinte nasceu sua primeira filha, a Virginia
Goreti.  Augusta aparece na foto segurando a filha pelo pé.

Meses depois que a Rádio Gazeta de Alagoas foi inaugurada, no inicio dos anos sessenta, Lauthenay foi convidado para dirigir o seu segundo departamento de esportes. Nessas alturas seus arquivos já começaram a aumentar.

Aos sessenta. Lauthenay aparece, no campo da Pajuçara, entrevistando o goleiro Pelopidas.

Já na Rádio Gazeta comandou um grande equipe que fez sucesso durante muitos anos. Lauthenay também começou a escrever o programa - O Esporte em Grande Estilo - programa que esteve em atividade, em várias emissora, por mais de trinta anos.  

Quando o Vasco da Gama esteve em Maceió para enfrentar o CRB no campo da Pajuçara Lauthenay entrevistou o zagueiro campeão do mundo Belini.

Paralelamente ao trabalho no Banco do Nordeste, ingressou em 1959, e a programação da Rádio Gazeta, Lauthenay colaborava com o Jornal Gazeta de Alagoas. Escrevia uma coluna que também durou mais de 40 anos. Na foto Lauthenay aparece entrevistando o antigo goleiro do America, CSA e Seleção Alagoana, Eduardo Bezerra Montenegro, o conhecido Dudu.
Propaganda das reportagens do Departamento Esportivo da Rádio Gazeta de Alagoas nos anos sessenta.

Anos sessenta. Festa dos Melhores de 1963 promovida pelo departamento esportivo da Rádio Gazeta de Alagoas. Dida que tinha sido campeão carioca pelo Flamengo recebeu de Lauthenay uma camisa do CSA. A mesma que ele usou na sua época de jogador do clube azulino. Ainda vemos os apresentadores do evento Sabino Romariz e Jorge Vilar.

Inicio dos anos setenta. Lauthenay se transferiu para a Rádio Difusora de Alagoas. Dirigindo o Departamento Esportivo da emissora do Estado Lauthenay recebe a visita do zagueiro Ademir do CRB.


Em 1968, quando foi lançada a pedra fundamental para a construção do Trapichão, Lauthenay começou a acompanhar o seu crescimento mês a mês. A cada visita, que tinha como companheiro o fotografo Zé Ronaldo, se observava que a construção não parava.







A Família nos anos setenta.
Valéria.Eu. Augusta. Goreti e Marta.


Eu no meio dos irmãos Santa Rosa.
Wilson. Luiz. Dida e Edson.

0 Comentários:

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial